Bitcoin – A moeda da internet

Vivemos numa era em que a tecnologia é que dita as regras do presente e do futuro e no que diz respeito ao dinheiro este conceito não é exceção.
Nem toda a gente deve ter ouvido falar da bitcoin, por isso, o que é uma bitcoin? Uma bitcoin é uma moeda digital, que não tem qualquer formato físico, não é controlada pelo sistema económico, é uma forma de dinheiro eletrónica, a chamada criptomoeda. Nasceu em 2008 apresentada por um programador ou um grupo de programadores com o pseudónimo de Satoshi Nakamoto e foi a primeira moeda digital a ser criada.
Apesar de a Bitcoin ser uma moeda virtual, consegue fazer transações com a mesma, desde pagamentos, guardar para valorizar (uma espécie de investimento), comprar bitcoins com moeda tradicional, fazer poupanças, etc.

A SUA EVOLUÇÃO

Atualmente 1 Bitcoin equivale a cerca de 3115,20€ (variando todos os dias), mas o seu valor nem sempre foi este. A Bitcoin teve uma ascensão vertiginosa de há uns anos para cá, tornando-se a moeda sensação. Só para termos uma ideia, em meados de 2015, uma bitcoin valia cerca de 235 euros e em 2017 já valia cerca de 2500 euros. Mas o valor de uma bitcoin pode ser imprevisível, pode ter uma valorização vertiginosa mas também pode sofrer uma queda devido à sua natureza. Apesar de ser uma moeda digital, é considerada perfeitamente segura, pois para utilizá-la tudo passa por um minucioso processo de autenticação em plataformas próprias criadas para o efeito.

A BITCOIN PELO MUNDO

O Japão é o país que mais utiliza este tipo de moeda. Em Portugal, há dezenas de websites que nos esclarecem o que é, como utilizar, onde utilizar no nosso país e as diferenças entre este meio de pagamento e o tradicional. Acima de tudo, o principal conselho é que, antes de utilizar este meio de pagamento que desconhece, informe-se e perceba como tudo funciona. A Bitcoin é aceite legalmente em Portugal e na União Europeia e já existe regulação para este efeito.

COMO USAR?

1º Escolha a sua carteira. Existem várias carteiras digitais de bitcoins grátis, como o Coinbase ou o Kraken, para todos os sistemas operacionais e dispositivos. Faça o download do software, este gera um código único de letras e números, que é como um código secreto e que vai servir para receber por exemplo um pagamento em bitcoins. Pode optar por instalar num dispositivo móvel ou no seu Computador e pode utilizar intensivamente ou apenas para pagamentos online.
2º As bitcoins podem comprar-se com o dinheiro tradicional e são adicionadas à carteira digital. O código secreto que falamos no ponto 1 não tem nenhum dado pessoal de quem o criou, serve só para liga-lo à rede das bitcoins. Todas as transações com bitcoins são armazenadas em rede, mas nunca identifica o seu utilizador.
3º As transações são feitas entre os tais «códigos secretos» de bitcoins através de um processo de autenticação – a blockchain. Uma transação Bitcoin não pode ser anulada pelo que deve ser bem ponderada antes de a estabelecer. Elas são efetuadas em poucos segundos e são confirmadas nos 10 minutos seguintes. Não deve aceitar transações não confirmadas.
4º Pode converter bitcoins em moeda tradicional, basta para isso solicitar a sua conversão através da carteira digital que criou.
Tal como Bitcoins, encontramos, hoje em dia, centenas de criptomoedas designadas pelas devidas siglas e com cotação no mercado. Devido à especulação gerada em torno deste fenómeno da tecnologia moderna ninguém consegue prever com exatidão o futuro das criptomoedas, encontrando assim defensores de teorias de valorização a longo prazo e aqueles que se opõem ao fenómeno, referindo-o muitas vezes como um logro que irá ser responsável pela desgraça financeira em diversas situações.
Um dos maiores problemas que foi levantado com o aparecimento das criptomoedas (nomeadamente Bitcoins) prende-se precisamente com o anonimato nas suas transações, tornando-as num alvo apetecível no mundo do crime, na lavagem e branqueamento de dinheiro pelas máfias mundiais e com várias referências na deepweb (ou underweb) a pagamentos com ligações criminosas, o que levou diversas agências mundiais de segurança a redobrar esforços na vigilância deste meio tão utilizado para o efeito.
Uma certeza parece permanecer ao longo do tempo: as criptomoedas vieram para ficar ou pelo menos ecoar num futuro próximo. Mantenha-se atento e informado.